Cerca 5,5 mil casas foram atingidas pelas enchentes em Pernambuco

Cerca de 5,5 mil casas foram atingidas pelas enchentes em Pernambuco. O balanço da Operação Prontidão foi apresentado, na manhã desta quarta-feira (28), pelo Governo do Estado. Segundo os dados, 490 habitações foram destruídas e 4.951 casas foram danificadas.

A partir da próxima semana, os prefeitos dos municípios afetados pelas chuvas vão realizar uma reunião para tratar de ações pontuais. Além disso, o governo pretende fazer o levantamento do cadastro da segunda etapa de habitações danificadas. O objetivo é fazer um cruzamento de dados com a Caixa Econômica Federal e com a primeira etapa do cadastro.

Além disso, também irão iniciar o pagamento do auxílio-moradia, identificar áreas para construção de habitacionais e concluir o levantamento dos danos. Ao todo, foram liberados R$ 17,55 milhões dos recursos federais e ainda esperam mais R$ 5,53 milhões. Os recursos são voltados para limpeza, cestas básicas, rolos de lonas, entre outros.

A operação começou há 30 dias e tem realizado diversos tipos de ações, desde auxílio com abrigos e limpeza das cidade, até ações de reposição de documentos, como identidade, certidão de nascimento, entre outros.

"É um trabalho intenso.  As cidades, em sua grande, maioria voltaram à normalidade. Mas a gente tem, agora, um caminho pela frente, que é finalizar os cadastros. Já cadastramos todos os que estavam desabrigados. Iniciamos, também, os cadastros dos desalojados", afirmou o governador Paulo Câmara.

Também foi informado que a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) retomou a operação de 31 sistemas de abastecimento de água e saneamentos. Eles haviam sido prejudicados pela chuva. A Compesa informou que está trabalhando na retomada de mais cinco sistemas.

Mais de 9 mil pessoas ficaram desabrigadas pelas chuvas, 52 rodovias foram danificadas, 38 escolas estaduais parcialmente danificadas e duas totalmente danificadas. Além disso, foram 173 escolas municipais parcialmente danificadas e 10 totalmente.

Fonte: Folha de Pernambuco

Comentários