Polícia requisitará documentos de assessora de Crespo

Inquérito para apurar denúncia de irregularidade no Paço foi aberto nesta segunda - FÁBIO ROGÉRIO/ARQUIVO JCS

O inquérito policial aberto pela Polícia Civil para apurar possíveis crimes praticados pela assessora da Prefeitura de Sorocaba, Tatiane Regina Goes Polis, deverá solicitar informações para a Corregedoria Municipal e autoridades educacionais como o Ministério da Educação, além de promover oitivas com a vice-prefeita Jaqueline Coutinho e o secretário Hudson Zuliani. O procedimento investigatório, aberto nesta segunda-feira (26), pretende apurar possível prática de falsidade ideológica ou uso de documento falso por Tatiane.

De acordo com o que delegado Alexandre Cassola explicou na manhã desta terça (27), as investigações tiveram início a partir das informações divulgadas em redes sociais e na imprensa, a cerca do fato de que a assessora ocuparia um cargo que exige legalmente ensino superior, mas que não possui ao menos ensino fundamental completo. As apurações pretendem confirmar as denúncias. "Será requisitado na prefeitura, junto à Corregedoria deles, toda a documentação do suposto procedimento administrativo que existe lá para apurara se procede ou não essas informações", explicou.

A Polícia Civil pretende ter acesso a todos os documentos apresentados pela assessora para para assumir o cargo. O objetivo é determinar se ela apresentou declaração ideologicamente falsa à adminsitração municipal ou ainda se forneceu certificado de conclusão falso. O Ministério da Educação também deverá ser contatado para fornecer comprovações do nível de escolaridade de Tatiane.

O delegado diz que não é possível determinar um prazo para conclusão do inquérito, uma vez que algumas das diligências dependem de informações que serão disponibilizadas para a polícia. Por enquanto, as investigações focam apenas em comprovar a prática de possível delito da assessora. "O que interessa aqui é se tem ou não tem coisa errada para ela assumir o cargo em que está comissionada. Se tem coisa errada, aí óbvio que isso pode ensejar outras ramificações. Se não tem, por óbvio que estanca aqui", ponderou.

Polêmica

As possíveis irregularidades de Tatiane foram reveladas pela vice-prefeita Jaqueline, e foram motivo de um desentendimento com o prefeito José Crespo no Paço. Em entrevista ao jornal Cruzeiro do Sul, Jaqueline disse que recebeu uma denúncia anônima sobre o suposto uso de diploma irregular por parte de Tatiane e realizou uma pesquisa sobre a escolaridade da servidora comissionada.

Jaqueline afirma que fez pesquisa pessoalmente na Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação (Esamc), onde a comissionada teria feito o curso superior. Ela também buscou informações no Diário Oficial do Rio de Janeiro, sobre o certificado do diploma de nível médio; e no sistema Gestão Dinâmica de Administração Escolar (GDAE), da Secretaria Estadual da Educação de São Paulo, sobre o ensino fundamental. Nessa plataforma, a vice disse constar que Tatiane Polis parou seus estudos na 6ª série do fundamental.

Câmara vota hoje processo que pede cassação de Crespo

Crespo: denúncia sobre a assessora é 'intriga'

Prefeito se isola no gabinete em dia de reuniões com secretários

Assessora pessoal de Crespo está no governo desde janeiro

OAB critica postura do prefeito em polêmica e pede apuração dos fatos

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Comentários