Adversário do Corinthians na Sul-Americana pode ter novo rival

Nesta quarta-feira, o Corinthians enfrenta o Patriotas, da Colômbia, às 21h45 (horário de Brasília), pela Copa Sul-Americana. Trata-se de um adversário desconhecido dos torcedores brasileiros, já que a equipe foi fundada há apenas 17 anos, em 2000, e subiu à primeira divisão local só em 2011, tendo parmanecido firme na elite desde então.

Fundado na cidade de Tunja, que tem cerca de 200 mil habitantes e fica no centro do país, o time é formado por muitos atletas formados em sua base, como os meias Maurício Gómez e Raúl Loaiza e o zagueiro Nicolás Carreño, além de atletas com passagens por equipes brasileiras, como o defensor Óscar Cabezas, revelado pelo Atlético-PR.

O Patriotas ganhou o direito de jogar a Copa Sul-Americana por ter ficado em 8º lugar no Campeonato Colombiano 2016, classificando-se também para as quartas de final da liga local. No entanto, acabou eliminado logo na sequência pelo Deportes Tolima.

Como o 'bom moço' James Rodríguez agora irrita técnico, torcida e até guerrilheiros

No torneio da Conmebol, porém, o pequeno time teve sorte melhor: após perder a ida de 1 a 0 e ganhar a volta peo mesmo placar, o Patriotas passou da primeira fase contra o Everton após bater a equipe chilena por 4 a 3 nos pênaltis, alcançando um resultado histórico para a agremiação.

O clube é treinado pelo jovem Diego Corredor, de 35 anos. Ex-meio-campista, ele defendeu o Patriotas por sete anos (2004 a 2011) e é um dos grandes ídolos locais.

Após se aposentar, ele tornou-se assistente do time e trabalhou com os técnicos Julio Comesaña e Harold Rivera, que ajudaram a fazer a equipe se consolidar de vez na primeira divisão nacional. Com a saída de Rivera para o Bucaramanga em dezembro de 2016, no entanto, Corredor foi efetivado como técnico em janeiro de 2017.

No último Colombiano, o Patriotas foi apenas 11º colocado e não avançou aos .

Na imprensa colombiana, porém, fala-se mais do rival que o Patriotas "ganhou" recentemente do que do próprio time de Tunja. Trata-se do La Paz FC, um time fundado pelas Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) em abril deste ano.

O plantel conta com guerrilheiros aposentados, vítimas da guerra entre as Farc e as forças do Governo colombiano e também membros civis das comunidades que foram afetadas pelos conflitos.

No momento, o La Paz FC resolve as últimas pendências para ser inscrito na 2ª divisão colombiana. Além disso, o clube terá um time sub-20, que disputará a Supercopa Juvenil da Federação Colombiana de Futebol, e também uma equipe feminina para a liga nacional.

Segundo o jornal , a fundação do time é uma aliança entre o Governo colombiano e o líder das Farc, Rodrigo Londoño, conhecido como .

Corinthians embarca para a Colômbia sem Jô, Jadson e Maycon

O acordo está previsto para valer 10 anos, e servirá para "estabelecer contato entre ex-combatentes das Farc nas zonas afetadas por conflitos para ajudar na ressocialização e na interação com as comunidades".

"Queremos que os ex-combatentes da Farc que estão fazendo o trânsito para a vida civil possam se unir às vítimas dos conflitos em um clube de futebol para competir profissionalmente", explicou o ex-guerrilheiro José Vicente Lesmes, o .

"Queremos que esse universo de 8 milhões de vítimas que o conflito armado na Colômbia deixou tenha uma representação esportiva com o La Paz FC", completou.

No momento, o clube ainda passa pela fase de formação da comissão técnica e do elenco. O plano é ter 90 jogadores (30 para o profissional, 30 para o sub-20 e 30 para o feminino), dando o pontapé inicial nas atividades no início de 2018.

A iniciativa também conta com o apoio de vários ex-jogadores colombianos famosos, como Bonner Mosquera ex-Millonarios, Alfonso Cañón ex-Independiente Santa Fe, e principalmente Faustino Asprilla, ex-Palmeiras e Newcastle-ING.

O La Paz FC mandará suas partidas no Estádio Municipal De La Paz, que comporta 30 mil torcedores e foi recentemente inaugurado pelo Governo colombiano.

O campo fica na cidade de Apulo, no Estado de Cundinamarca, localizada a pouco mais de 200 km de Tunja, no Estado de Boyacá, onde fica o Patriotas, seu "rival".

Essas regiões da Colômbia foram duas das que mais sofreram com os muitos anos de luta entre entre o Govero e as Farc, organização guerrilheira que conta com cerca de 8 mil membros e está em conflito com o Estado local há 50 anos.

Esta guerra que deixou mais de 200 mil mortos, com direito a sequestros, atentados, assassinatos e bombardeios financiados principalmente pelo narcotráfico.

Em Boyacá e Cundinamarca, por exemplo, estavam localizadas as Frentes 28, 38, 42, 45, 51, 52, 54, e 55 das Farc, algumas das subdivisões da organização.

Elas eram chefiadas chefiadas por alguns dos líderes mais temidos da guerrilha, como Félix Antonio Lara Cifuentes, o , preso em 2004; Ernesto Orjuela Tovar, o , já falecido; José Parménides Castro, o , capturado em 2002; Henry Castellanos Garzón, o , atualmente desaparecido; Bertulfo García Arcesio, o , preso em 2005, e Arcesio Angarilla, morto em 2004.

Nos últimos anos, o Governo colombiano vem tendando encerrar de vez os conflitos com as Farc através de muitas negociações. Em junho de 2016, o presidente Juan Manuel Santos chegou a assinar um tratado de paz com os guerrilheiros. Após a organização de um referendo nacional, porém, a população votou contra o acordo, que acabou cancelado.

O Governo, porém, agiu rápido e, em dezembro do ano passado, conseguiu que o Poder Legislativo do país aprovasse um novo acordo de paz, 40 dias depois do primeiro tratado ter sido derrotado com 50,24% dos votos no plebiscito nacional.

Apesar de contar com opositores fortes, como os ex-presidentes Andrés Pastrana e Álvaro Uribe, o acerto segue válido. Com isso, as Farc iniciaram seu desarmamento e desmobilização, enquanto o Governo negocia o perdão de ex-combatentes.

Local: estádio La Independencia, em Tunja (Colômbia)

Data: 28 de junho de 2017, quarta-feira

Horário: 21h45 (de Brasília)

Árbitro: Mario Diaz de Vivar (Paraguai)

Assistentes: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (ambos do Paraguai)

PATRIOTAS-COL: Álvaro Villete; Jesús Murillo, Óscar Cabezas, Danilo Arboleda e Nicolás Carreño; Larry Vásquez, Rafael Robayo e Omar Vázquez; Carlos Mosquera, Mauricio Gómez e César Valoyes. Técnico: Diego Corredor

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pedro Henrique e Moisés; Gabriel, Camacho, Marquinhos Gabriel, Rodriguinho e Romero; Kazim. Técnico: Fábio Carille

Fonte: ESPN.com.br

Comentários