América do Sul domina ranking da Fifa, mas quem manda em títulos da Copa é a Europa

O Chile entra em campo, nesta quarta-feira, às 15h (de Brasília), para enfrentar Portugal pela semifinal da Copa das Confederações. Caso a equipe de Juan Antonio Pizzi seja eliminada, a América do Sul ficará sem nenhum título de nível mundial, mas seguirá em alta no ranking da Fifa.

Os alemães são os atuais campeões da Copa do Mundo, o que faz a Europa ter três títulos seguidos na competição (Itália, em 2006; Espanha, em 2010; Alemanha, em 2014). Já a Copa dos Confederações deste ano ainda pode ter final 100% europeia, com Portugal x Alemanha - as últimas três edições foram conquistadas pelo Brasil.

Técnico do Chile elogia Cristiano Ronaldo e diz não haver favorito em semifinal

CR7 joga sozinho? Em alta, conterrâneos do craque viram protagonistas e movimentam R$ 500 milhões

Chefe de arbitragem da Fifa elogia juiz de vídeo, mas admite necessidade de ajustes

Além disso, os europeus também dominam na base. Eles ganharam os últimos três títulos do Mundial sub-20, com França (2013), Sérvia (2015) e Inglaterra (2017). Antes, em 2011, o Brasil foi campeão.

O curioso é que, apesar da má fase dos sul-americanos, o ranking da Fifa tem quatro times da América do Sul no top 5 (Brasil em 1º, Argentina em 2º, Chile em 4º e Colômbia em 5º). Porém, só os chilenos foram campeões recentemente com as conquistas da Copa América 2015 e da Copa América Centenário, em 2016.

A explicação para a atual situação do ranking é que os sul-americanos levam vantagem contra os europeus por terem eliminatórias mais longas e, consequentemente, somam mais pontos no ranking da Fifa.

No classificatório da Conmebol, os 10 países se enfrentam, todos contra todos, em turno e returno, o que dá um total de 18 jogos por equipe.

Os quatro primeiros garantem vaga na Copa do Mundo, enquanto o quinto colocado vai para a repescagem mundial e ainda disputa mais duas partidas, chegando a 20 nas eliminatórias.

Já no qualificatório da Uefa, os times são divididos em grupos de seis, sendo que cada seleção disputa 10 jogos. Os primeiros de cada chave vão para o Mundial, e os segundos colocados disputam a repescagem com mais duas partidas. Ou seja, uma seleção europeia entra em campo, no máximo, 12 vezes durante as eliminatórias.

Resultado: os times da América do Sul levam vantagem no ranking por disputarem mais partidas oficiais em relação aos europeus. Na classificação da Fifa, os jogos têm pontuações diferentes. Uma partida oficial pela eliminatória da Copa vale 2,5 pontos, enquanto um amistoso vale 1 ponto.

* Veja como funciona o ranking da Fifa:

PESO DE CADA ANO:

R x I x S x C

R = Resultado da partida - 3 para vitória, 1 para empate e 0 para derrota

I = Importância da partida - 4 para Copa do Mundo, 3 para Copa das Confederações ou competição continental (Copa América e Eurocopa, pro exemplo), 2,5 para eliminatórias e 1 para amistoso

S = Força da seleção adversária - Número obtido subtraindo a posição da seleção no ranking por 200

C = Força da confederação continental - média da confederação das duas equipes - 1 para Conmebol, 0,99 para Uefa e 0,85 para Concacaf, Ásia, África e Oceania

3 pela vitória, 2,5 por ser eliminatória, 164 porque o Paraguai é o 36º do mundo (200 - 36) e 1 da média entre América do Sul e América do Sul (1+1/2)

3 pela vitória, 1 por ser amistoso, 164 porque o Paraguai é o 36º do mundo (200 - 36) e 1 da média entre Europa e América do Sul (0,99+1/2)

Local: Kazan Arena, em Kazan (Rússia)

Data: 28 de junho de 2017 (Quarta-feira)

Horário: 15 horas (de Brasília)

Árbitro: Alireza Faghani (Irã)

Assistentes: Reza Sokhandan (Irã) e Mohammadreza Mansouri (Irã)

PORTUGAL: Rui Patrício, Cédric, José Fonte, Bruno Alves e Eliseu; William Carvalho, Adrien Silva, André Gomes e Bernardo Silva; André Silva e Cristiano Ronaldo

Técnico: Fernando Santos

CHILE: Claudio Bravo, Mauricio Isla, Gary Medel, Gonzalo Jara e Eugenio Mena; Marcelo Díaz, Charles Aránguiz, Arturo Vidal e Pablo Hernández; Eduardo Vargas e Alexis Sánchez

Técnico: Juan Antonio Pizzi

Fonte: ESPN.com.br

Comentários