Com sonho na Europa e foco no São Paulo, Araruna fala em Libertadores

Uma das principais revelações do São Paulo versão 2017, o versátil Araruna não se intimida com a má fase pela qual o clube passa no Campeonato Brasileiro, ocupando o 16º lugar, com 11 pontos ganhos, um a mais que o Bahia, primeira equipe dentro da zona de rebaixamento.

Promovido ao time profissional em janeiro, o atleta de 21 anos ainda não teve o nome ventilado em possíveis transações para o exterior, ao contrário de outros nomes da base tricolor, como David Neres, Lyanco e Luiz Araújo, que foram negociados neste ano.

"Hoje minha cabeça é só no São Paulo, venho aqui trabalhar o máximo possível para tirar o time dessa situação. Claro que tenho o sonho de jogar na Europa, mas é um objetivo mais a longo prazo", explicou, em entrevista coletiva, nesta quarta-feira, no CCT da Barra Funda.

Com 18 jogos pelo São Paulo no ano, ele participou da pré-temporada nos Estados Unidos e aos poucos vai se estabelecendo na equipe titular, condição à qual retornou no empate com o Fluminense, no último domingo. Recuperado de uma lesão na coxa, Araruna quer ajudar o clube a subir na tabela e a sonhar com objetivos que condizem com sua história.

"É um momento difícil, ninguém gosta de jogar perto da zona de rebaixamento, mas pensamos jogo a jogo, sentimos toda derrota. Nos últimos jogos não fizemos nenhuma má partida, pelo contrário. No decorrer do campeonato temos totais condições de brigar por uma Libertadores e pelo campeonato", assegurou, reforçando o foco na reabilitação da equipe.

"Há dois momentos. O bom, em que os jovens entram e ganham mídia. E em outro o clube precisa de atletas compromissados. Estou aqui para isso, ajudar e trabalho forte na semana. Escuto Rogério e companheiros para amadurecer. Queremos voltar a vencer. É o mais importante", ressaltou.

Araruna, que treinou entre os titulares nesta quarta-feira, deve começar jogando contra o Flamengo, domingo, na Ilha do Urubu, e, se agradar, pode ganhar sequência diante do Santos, em 9 de julho, na Vila Belmiro. Apesar da dificuldade dos dois compromissos, o volante crê no sucesso do Tricolor mesmo longe de casa.

"São jogos difíceis tanto pra gente quanto pra eles. O São Paulo tem que ser respeitado. Temos totais condições de vencer fora de casa, e assim subir na classificação. Ainda tem muitos jogos pela frente, e a gente pode brigar pelo topo da tabela", encerrou, confiante.

Fonte: Terra Brasil

Comentários