Exatos sete meses após acidente, Chapecoense enfrenta o Defensa y Justicia pela Sul-Americana

Responsável por boas e más lembranças, a Copa Sul-Americana volta a ser disputada pela Chapecoense nesta quarta-feira (28), exatamente sete meses depois da tragédia na Colômbia, que resultou na morte de jogadores, comissão técnica e diretoria, além de jornalistas. A partir das 19h15 (de Brasília), o time catarinense enfrenta o Defensa y Justicia, da Argentina, no estádio Norberto "Tito" Tomaghello, em Buenos Aires, pela segunda fase da competição. Os brasileiros entraram por causa da eliminação na Copa Libertadores.

No dia 29 de novembro do ano passado, o avião que transportava a delegação da Chapecoense para a primeira partida da final da Sul-Americana contra o Atlético Nacional, em Medellín, acabou caindo na região de Antioquia por falta de combustível. Na tragédia, 71 pessoas morreram e apenas seis sobreviveram — entre eles o goleiro Jackson Follmann, o zagueiro Neto e o lateral-esquerdo Alan Ruschel.

O goleiro, que teve uma das pernas amputadas devido ao acidente, se tornou Embaixador da Chape:

— A gente espera fazer uma grande competição porque vale muito para nós, para o torcedor, para a cidade... Parece que foi ontem que a gente estava estreando na Sul-Americana, fazendo grandes jogos e entrando para a história do clube.

Atual campeão — o Atlético Nacional abriu mão do título como uma forma de homenagem —, o clube catarinense está na Sul-Americana porque ficou na terceira colocação do Grupo 7 da Libertadores. A Chapecoense foi punida com a perda de quatro pontos devido à escalação irregular do zagueiro Luiz Otávio e ficou de fora das oitavas de final. O duelo de volta contra o Defensa y Justicia acontecerá apenas no dia 25 de julho, em Chapecó (SC).

O momento da Chapecoense não é dos melhores. Com três derrotas seguidas, o time se distanciou dos primeiros colocados e está próximo da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Perdeu em casa para o Botafogo (2 a 0), foi goleado pelo Flamengo (por 5 a 1), no Rio, e depois na Arena Condá, de novo, perdeu para o Atlético Mineiro por 1 a 0.

A delegação alviverde embarcou na última segunda-feira (26) para Buenos Aires e realizou uma atividade no local da partida nesta terça (27). Como não teve muito tempo para treinar, o técnico Vagner Mancini deve manter a base do time que perdeu para o Atlético Mineiro. Luiz Otávio deixa o time para a entrada de Douglas Grolli. Com dores na coxa, Victor Ramos está vetado.

Disputando pela primeira vez uma competição internacional, o Defensa y Justicia quer ser uma pedra no sapato de mais um brasileiro. Isso porque, na primeira fase, surpreendeu a todos ao eliminar o São Paulo em pleno estádio do Morumbi, na capital paulista.

Em 10.º lugar no Campeonato Argentino, o time garantiu vaga na Sul-Americana do ano que vem ao vencer o Gimnasia La Plata por 1 a 0, no último final de semana. Para essa partida, o técnico Sebastián Beccacece não poderia contar com Barboza, expulso contra o São Paulo, mas o contrato de empréstimo chegou ao fim no último domingo (25) e o zagueiro voltou ao River Plate.

Fonte: R7

Comentários