Macaco flagrado no Japão tentando copular com cerva intriga cientistas

Notícias da sua região rio grande do norte cruzeiro do sul e região ji paraná e região central cacoal e zona da mata rio de janeiro rio de janeiro rio de janeiro e região são paulo e região são carlos e araraquara vale do paraíba e região rio grande do sul

Sem chegar a penetrar a fêmea, o jovem macaco realiza movimentos sexuais, em geral tolerados pela parceira improvisada. Um jovem macaco foi filmado no Japão tentando manter atividade sexual com uma cerva, algo muito incomum entre duas espécies tão diferentes, segundo um estudo publicado nesta terça-feira (10). Há poucos exemplos conhecidos no mundo de sexo entre espécies selvagens diferentes. Esta situação é menos excepcional entre animais de estimação ou em cativeiro, segundo o artigo publicado na revista Primates. Este macaco japonês da ilha de Yakusima, no sul do Japão, foi filmado em várias ocasiões montando ao menos duas cervas sika, muito maiores que ele. Sem chegar a penetrar a fêmea, o jovem macaco realiza movimentos sexuais, em geral tolerados pela parceira improvisada. "Não há nenhuma ambiguidade possível, trata-se claramente de um comportamento sexual", indicou à AFP a coautora do estudo Marie Pele, pesquisadora da Universidade de Estrasburgo (França). Além disso, o macaco parecia "proteger" os alvos de sua afeição, afugentando outros macacos machos que tentavam se aproximar das cervas. Os cientistas especulam que o comportamento do macaco pode ser provocado pela "privação de companheiro" em uma comunidade onde a competição por fêmeas é dura, impulsionada por um aumento de hormônios na época de reprodução. "Este jovem macaco não tinha acesso às fêmeas de seu grupo, monopolizadas pelos machos mais velhos. (...) Estava muito excitado e aproveitou a presença desta cerva para fazer o que tinha que fazer", disse Pele. Sem chegar a penetrar a fêmea, o jovem macaco realiza movimentos sexuais, em geral tolerados pela parceira improvisada. (Foto: Alexandre Bonnefoy/Editions Issekinicho/AFP) Os pesquisadores afirmam que são necessários mais estudos para compreender as origens do comportamento sexual interespécies, incluindo a zoofilia, quando os homens se sentem atraídos sexualmente por animais. Este é o segundo estudo sobre o tema. O primeiro, publicado em 2014, analisou os lobos-marinhos que abusam de pinguins na Antártica.

Trump nega ter negócios com a Rússia e diz que vazamento de documentos é vergonhosoNo Twitter, Trump disse que suposto dossiê russo é falsoResultado da inflação favorece corte dos juros, dizem analistasInflação de 2016 foi de 6,29%, abaixo do teto da metaPoupança teve rendimento melhor com índiceInflação de 2016 foi de 6,29%, abaixo do teto da metaPoupança teve rendimento melhor com índiceFeijão foi vilão, e cebola o item com maior queda de preçoTransportes devem pressionar inflação em janeiroÍndice que corrige aposentadoria de quem ganha acima do mínimo fica em 6,58%Pela 1ª vez em 20 anos, aumento deverá ser superior ao do mínimo. Portaria que oficializa reajuste ainda não saiu.17 detentos que comandaram massacre em Manaus vão para presídios federaisEles são considerados mandantes da chacina com 56 mortos.Presos bebem água de privada onde houve massacre no AMDetentos vivem sob ameaças e têm sinal de celular.Após chamar chacina de acidente, Temer fala em 'matança'RJ pode vender empresa de saneamento para receber ajuda federalEstado tenta acordo para suspender pagamentos e aliviar contas.Petrobras tem US$ 42 bi em bens para vender, diz diretor da estatalEstatal diz que produção de petróleo foi recorde em 2016Petrobras convida só estrangeiros para licitação de obra Estatal diz que produção de petróleo foi recorde em 2016Petrobras convida só estrangeiros para licitação de obra Rio Grande do Nortecacoal e zona da mataRio de JaneiroRio de Janeiro e RegiãoSão Paulo e RegiãoSão Carlos e AraraquaraVale do Paraíba e RegiãoRio Grande do Sul

Fonte: Globo.com

Comentários