Bolsas da Europa fecham com ganhos com commodities e cautela para Trump

Os mercados acionários europeus fecharam para cima nesta quarta-feira, com as energéticas e mineradoras. As farmacêuticas sentiram com os comentários do presidente eleito dos Estados Unidos Donald Trump.

As ações de saúde recuaram e puxaram o Stoxx 600, com Trump afirmando que irá forçar a indústria a oferecer melhores negócios no seu governo.

As ações energéticas acompanharam os preços do petróleo para cima, enquanto os produtores de commodities fecharam em seu nível mais alto desde maio de 2015.

A Shire Plc, a Roche Holding AG e a AstraZeneca Plc, que contam a América do Norte com seu maior mercado, caíram pelo menos 1%, depois da fala do presidente eleito para as farmacêuticas.

Entre as ações com ganhos estavam as da J Sainsbury Plc, 5,5%, puxando as varejistas, depois que suas vendas de férias superaram as estimativas.

O lado positivo ficou para o FTSE 100, bolsa de Londres, com os índices da economia do Reino Unido.

Ao final da jornada, em Londres, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,23% aos 364.90, depois de subir até 3% antes de Donald Trump. Em Milão, o índice FTSE-MIB subiu 0,32% aos 19.486 pontos. Em Madri, o índice Ibex 35 subiu 0,46% aos 9.408 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX 30 subiu 0,54% aos 11.646 pontos. Em Paris, o índice CAC 40 ficou estável aos 4.888 pontos. Em Londres, o índice FTSE-100 subiu 0,21% aos 7.290 pontos. E, em Lisboa, o índice PSI-20 caiu 0,61% aos 4.589 pontos.

O déficit da balança comercial do Reino Unido foi estimado em £ 4,2 bilhões em novembro de 2016, alta de £ 2,6 bilhões a partir de outubro de 2016, o que reflete um aumento de £3,3 bilhões nas importações, parcialmente compensado por um aumento de £ 0,7 bilhões nas exportações. A alta do déficit em novembro é atribuída ao comércio de mercadorias, em que se verificou um aumento das importações tanto da União Europeia como em países terceiros, parcialmente compensado por um aumento das exportações para os países da UE.

Em novembro de 2016, estimava-se que a produção total aumentasse 2,1% em relação a outubro de 2016. A alta foi atribuída ao aumento da produção de minas e pedreiras depois do fim do período de manutenção no setor de petróleo e gás e uma alta no setor de fabricação.

A estimativa mensal da produção industrial subiu 1,3% em novembro de 2016. A maior contribuição segue para produtos farmacêuticos, aumento de 11,4%. Os dados são do Governo do Reino Unido.

Em novembro de 2016, a produção de construção caiu 0,2% em relação a outubro de 2016, em grande parte devido a uma contração na reparação e manutenção de imóveis. O padrão subjacente sugerido pelo movimento de três meses em três meses mostra uma ligeira contracção de 0,1%. A reparação e manutenção fizeram maior pressão para baixo na produção de construção, caindo tanto no mês e ano. O novo trabalho, em novembro de 2016, aumentou com a construção de novas casas, que seguem em alta

Fonte: Ultimoinstante

Comentários