Imenso asteróide passa próximo à Terra e nem ficamos sabendo

Na manhã do dia 9, enquanto a população vivia suas vidas em mais um dia comum, uma rocha espacial tão grande quanto um prédio de 10 andares se aproximou muito da Terra.

O asteróide chamado 2017 AG13 foi descoberto apenas no sábado pela Catalina Sky Survey da Universidade do Arizona, de acordo com um e-mail da Slooh, uma empresa que transmite visões ao vivo do espaço.

Tem entre 15 e 34 metros de comprimento e, quando oscilou pela Terra, o AG3 estava se movendo a 16 km/s (isso mesmo, por segundo). O objeto, próximo da Terra, chegou a uma distância equivalemten a metade do que há entre a Lua e a Terra, de acordo com Slooh.

“Isto estava se movendo muito rapidamente, muito perto de nós”, disse Eric Feldman, astrônomo da Slooh, durante uma transmissão ao vivo do flyby no 9 de janeiro.

E SE O ASTERÓIDE TIVESSE ENTRADO NA NOSSA ATMOSFERA?

De acordo com um simulador de impacto de asteróides chamado “Impact Earth!”, desenvolvido pela Purdue University, o impacto pode não ter sido tão ruim quanto poderia.

Se um asteróide de rocha porosa de 34 metros atingisse a Terra em um ângulo de 45 graus teria causado uma explosão de ar, que liberaria cerca de 700 quilotons de energia – dezenas de vezes mais poderosa do que a bomba atômica detonada sobre Hiroshima.

Mas como teria ocorrido a uma distância de cerca de 10 milhas de altura, provavelmente não teria tido muito efeito no solo.

Fonte: Yahoo Noticias Brasil

Comentários