'A primeira coisa que disseram foi para dar os cachorros', diz dona de animais roubados no Caminho das Árvores

Ariel, 9 anos, e Argus, 7, foram levados por três homens na manhã desta quarta-feira (28), enquanto passeavam com a dona

O passeio era o mesmo de todos os dias. Por volta das 5h40 desta quarta-feira (28), a analista de sistemas Fabrícia Rejane tinha saído com seus dois companheiros – os cachorrinhos da raça maltês Ariel e Argus – para a caminhada matinal na Praça São Vicente, na Rua do Benjoim, no Caminho das Árvores.

Como era seu costume nos passeios, Fabrícia saiu de casa sem celular. Queria evitar um assalto ou algo do tipo. Nesse horário, sempre encontram outros cachorros passeando com seus donos. Mas, dessa vez, a praça estava vazia. Mesmo assim, o que ela não imaginava era que fosse se deparar com três criminosos interessados em roubar não um aparelho, mas seus dois cachorros. O trio chegou a bordo de um Honda Fit preto e pelo menos um dos homens estava armado.  Ariel e Argus, pai e filho, foram roubados nesta quarta-feira (28), no Caminho das Árvores

(Foto: Acervo pessoal)“Ele anunciou o assalto, eu corri e ele veio com a arma”, contou a analista de sistemas, ao CORREIO, por telefone. Dois dos suspeitos saíram do carro, correndo em direção a ela, enquanto um permanecia a postos, no volante. “Um perguntou se eu tinha algum celular, mas a primeira coisa que me disseram foi: ‘me dê os cachorros’. Pedi: ‘por favor, não leve meus cachorros’, mas ele veio de novo com a arma e levaram embora”.

Toda a ação não durou mais do que alguns minutos. Os homens fugiram, com os animais, em direção à Rua do Jaborandi, também no Caminho das Árvores. Veja abaixo vídeo da ação.

Ariel e Argus são pai e filho, respectivamente. Ariel tem nove anos, enquanto o filho tem sete. Mais velho, Ariel toma medicamentos para tratar a artrose. “Nunca imaginava que isso fosse acontecer. Já são nove anos fazendo as mesmas coisas. Já vi casos (de roubo de cachorros) e até já aconteceu no Caminho das Árvores, mas a gente nunca acha que vai acontecer com a gente. Sou muito apegada a eles e eles a mim”.

Em Salvador, cachorros da raça maltês estão à venda em petshops por até R$ 3 mil. O caso foi registrado na 16ª Delegacia (Pituba), que vai investigar o caso.

Os animais são castrados. Quem tiver informação sobre o paradeiro deve entrar em contato com Fabrícia (98815-3084) ou informar à polícia.

Outros casos

Não é a primeira vez que cachorros são roubados em Salvador. Em março, a dona dos cães Mailon, 3 anos, Aila, 2, Branca e Buldogue, 4 meses, viveu quase dois dias de agonia após o sequestro dos cachorros, da raça Shih-tzu, em um condomínio de Piatã. O acusado, Marcelo Silva Menezes, 31, foi contratado para adestrar os bichos e, no quinto dia de cuidados, sumiu com eles.

Na época, segundo o delegado ACM Santos, titular da 12ª Delegacia (Itapuã), os animais seriam usados para pagar uma dívida que Marcelo contraiu com um agiota. “Ele disse que está devendo R$ 1.700 a um agiota e já estava tudo certo para vender os cães por R$ 1.200 para ajudar a pagar essa dívida”, contou o delegado.

Em 2014, dois cachorros da raça shih-tzu - Marley, 8 anos, e Scooby Doo, 3 - foram roubados no mesmo bairro do Caminho das Árvores, nos fundos do Hiperbompreço. Os dois foram recuperados pela polícia no dia seguinte. Marley foi encontrado na Fazenda Grande do Retiro, numa casa abandonada. Já Scooby Doo estava em São Caetano, onde duas pessoas foram presas pelo roubo dos animais.

Fonte: Correio da Bahia

Comentários