Em Ouro Preto, Pimentel foca nas injustiças cometidas contra Tiradentes e Mandela

OURO PRETO (MG) - O governador Fernando Pimentel , durante a solenidade de entrega da Medalha da Inconfidência, nesta sexta-feira (21), em Ouro Preto, destacou a luta contra as injustiças.

"Mandela dizia que ninguém nasce odiando uma pessoa por sua cor. As pessoas aprendem a odiar. E, se aprendem a odiar, aprendem a amar", afirmou. Neste ano, o principal homenageado na cerimônia é o ativista político e símbolo da luta contra o apartheid, Nelson Mandela.

Conforme o governador, Mandela e Tiradentes levaram uma vida de perseguições. "Tiradentes foi protagonista de um espetáculo, feito para distrair a razão, não para alcançá-la", afirmou, fazendo alusão ao atual cenário político nacional.

Para a deputada federal Jô Moraes (PCdoB), uma das homenageadas, foi um dia de extrema importância não só para Minas Gerais, mas para todo o Brasil. Segundo a deputada, a homenagem a Mandela dá voz às minorias. Ela ressaltou que a história do africano mostra que, apesar das perseguições, a verdade um dia vem à tona. "Precisamos estar atentos aos fatos, pois o estado de direito está ameaçado", destacou.

A vereadora mais votada de Belo Horizonte, Áurea Carolina (PSOL), também agraciada, aproveitou a solenidade para manifestar de forma favorável às ocupações. Ela foi ao evento usando uma camisa com os dizeres "despejo zero". "Lutamos para que não haja nenhum despejo na cidade", afirmou.

Embora o acesso à Praça Tiradentes, em Ouro Preto, fosse restrito, foi possível ouvir gritos de "Fora, Temer" durante discurso de Fernando Pimentel. O som vinha de uma manifestação na rua lateral ao evento, que, segundo estimativas do governo, concentrou 1,2 mil pessoas. Um protesto maior foi realizado na entrada da cidade, na rodoviária. Homenageada, a presidente da CUT e do SindUte, Beatriz Cerqueira, ficou durante todo o evento com os manifestantes.

Fernando Pimentel é orador da entrega da Medalha da Inconfidência, em Ouro Preto

Fonte: Hoje em Dia

Comentários